21/04/17

Alergia na zona intima

Alergia na zona intima, como tratar?

Pode ter as variadíssimas razoes, normalmente tem a ver com alguma mudança. Por exemplo roupa intima nova, calças de ganga apertados, mudança do gel/sabão de limpeza ou uso de um creme depilatório.

O importante seria também não confundir com sintomas de candidíase, na alergia tem comichão e vermelhidão numa área alargada que aparece rapidamente, pode ter ou não algumas borbulhas.

Nos casos mais leves pode passar sem fazer nada, ou então tomar um anti histamínico. Nos casos mais desenvolvidos será preciso fazer um tratamento tópico, colocar uma pomada. Nestes casos os médicos normalmente recomendar um creme que contem um antifúngico e um corticosteroide (Ex: Travocort). Tera de aplicar a pomada 2 vezes ao dia, durante alguns dias.

Não pode coçar, isso só faz piorar o problema e pode provocar pequenos cortes na vagina. Quanto a limpeza terá de usar algum sabonete neutro, lavar com cuidado com agua morna 2 vezes ao dia.

E o mais importante consiste em descobrir o que provocou a alergia e eliminar da sua rotina.

20/04/17

Travocort creme

Travocort creme na sua composiçao tem Valerato de difluocortolona + Nitrato de isoconazol
  • Nitrato de isoconazol: é um antifúngico (antimicótico), é eficaz contra dermatófitos, leveduras, fungos (incluindo o organismo causador da pitiríase versicolor), bolores e também contra o organismo causador de eritrasma. 
  • Valerato de difluocortolona: é um corticosteroide (anti-inflamatório), suprime reacções inflamatórias e reacções alérgicas cutâneas e atenua sintomas, tais como comichão, ardor e dor.
Travocort creme
Devido a esta mistura de componentes o Travocort é utilizado nos casos em que é necessário um antifúngico, mas em que o problema a tratar esta demasiado desenvolvido e só um antifúngico não tem capacidade para tratar. Travocort é utilizado no tratamento inicial ou durante surtos intermédios de micoses superficiais acompanhadas de intensas manifestações inflamatórias ou eczematosas, por exemplo, nas mãos, nos espaços interdigitais dos pés e na região genital e das virilhas.

Por exemplo alguma inflamação com fungo a mistura ou reacção alérgica na zona vaginal devido a utilização de um sabonete, nas zonas intimas do homem as vezes também pode ser necessário utilizar Travocort se tiver infecçao com comichão e vermelhidão a mistura.

Para evitar reinfeções, aconselha-se que a roupa de uso pessoal seja mudada diariamente (toalhas de rosto e outras, roupa interior – de preferência em algodão), devendo ser lavada em água muito quente ou mesmo a ferver.
A higiene pessoal regular é essencial para o sucesso do tratamento com Travocort. No pé de atleta (Tinha pedum), o espaço entre os dedos deve ser cuidadosamente seco após lavagem, e as meias devem ser mudadas diariamente.

Tratamento com Travocort normalmente dura 1 semana, as vezes pode prolongar-se. Após 2 semanas o seu médico pode então prescrever-lhe um tratamento antifúngico sem corticosteroide se a situação já estiver mais controlada. Isto aplica-se sobretudo na zona genital e das virilhas.

Como regra geral, não devem utilizar-se preparações tópicas contendo corticosteroides durante os primeiros três meses de gravidez. Em particular, deve ser evitada a aplicação em áreas extensas assim como a utilização prolongada

18/04/17

Elás creme - alivio das dores

Elás creme é um medicamento não sujeito a receita médica indicado no tratamento tópico da dor, inflamação e inchaço dos músculos e articulações após lesões desportivas e acidentes.

A base do creme é uma planta medicinal Symphytum officinale (consolda) conhecida há muito e
usada no tratamento de dores musculares e articulares. O extracto da raíz da planta tem um efeito anti-inflamatório, analgésico e redutor de edema, bem como promotor da granulação e regeneração tecidular.

Elás creme - alivio das dores
Tem demonstrado bons resultados no tratamento das dores musculares e articulares e é uma boa opção para quem da preferência aos produtos a base natural.

Posologia: Aplicar Elás nas áreas do corpo a serem tratadas e massajar até absorção completa, 2 a 4 vezes por dia. Aplicar sobre pele intacta. Não aplicar nos olhos nem em membranas mucosas. Podem ocorrer reações alérgicas e irritação na pele. Não usar em crianças com menos de 12 anos.

Preço: +/- 12 euros

14/04/17

Etoricoxib usado nas dores das articulações

Etoricoxib é um medicamento do grupo de medicamentos chamados inibidores selectivos da COX-2. Estes pertencem a uma família de medicamentos chamados anti inflamatórios não esteróides (AINEs), que apresenta actividade anti-inflamatória, analgésico e antipirética.

Utilização de Etoricoxib tem vindo aumentar,especialmente nas dores relacionadas com articulações. Etoricoxib ajuda a reduzir a dor e inchaço (inflamação) nas articulações e músculos de pessoas com osteoartrose, artrite reumatoide, espondilite anquilosante e gota. Etoricoxib é também usado no tratamento de curta duração da dor moderada após cirurgias.

Nosso organismo produz dois tipos de enzimas semelhantes, denominadas COX-1 e COX-2. Uma das funções da COX-1 está relacionada com a protecção do estômago, enquanto a COX-2 participa nos processos inflamatórios e dolorosos de tecidos e das articulações.

Etoricoxib bloqueia a COX-2 e, desse modo, reduz a dor e a inflamação com menos risco de úlceras no estômago em comparação com os AINEs. Outros anti-inflamatórios (anti-inflamatórios não esteróides – AINEs) bloqueiam tanto a COX-1 como a COX-2.
Etoricoxib usado nas dores das articulações

Não é necessário qualquer ajustamento da dose em doentes idosos. As doses recomendadas e a duração de tratamento variam de acordo com o problema a tratar. No mercado pode encontrar Etoricoxib com nomes comercias como Arcoxia, Exxiv, Turox com 7 ou 28 comprimidos pela embalagem.

Como os riscos cardiovasculares dos inibidores selectivos da COX-2 podem aumentar com a dose e duração da exposição, deve-se utilizar a menor dose efectiva diária pelo período de tempo mais curto possível.

Etoricoxib deve ser utilizado com cautela por pacientes que já tenham apresentado crises agudas de asma, urticária ou rinite desencadeadas pelo uso de salicilatos ou inibidores não específicos da cicloxigenase.

Etoricoxib pode ser tomado com uma dose baixa de ácido acetilsalicílico. Se está actualmente a tomar uma dose baixa de ácido acetilsalicílico para prevenir ataques cardíacos ou acidente vascular cerebral, não deve parar de tomar ácido acetilsalicílico até falar com o seu médico.

Arcoxia/Exxiv/Turox pode interferir com outros medicamentos que esteja a tomar, por exemplo aumenta a concentração plasmática das pílulas anticoncepcionais.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...